segunda-feira, 19 de novembro de 2012

•¤° Fotos •¤°

Uma coisa que sempre quis fazer mas sempre adiei sem motivo algum, foi colocar imagens interessantes de livros e fotos de pessoas lendo, finalmente criei coragem e resolvi fazer isso, esse mês irei postar algumas fotos de Marilyn, junto com algumas frases dela que achei muito fofo.


Não me alimento de 'quases', não me contento com a metade! nunca serei sua meio amiga, ou seu meio amor, é tudo ou nada.
Marilyn Monroe

domingo, 18 de novembro de 2012

•¤° Cuco - Julia Crouch •¤°

Sabe aqueles livros que de deixa no suspense da primeira página até a última, esse foi o Cuco, um livro que me deixou bastante irritada pois faz você esperar pela reviravolta que nunca vem, e ao mesmo tempo eu não conseguia deixar de ler a cada página que eu virava eu queria mais, mais e mais. Às vezes eu ficava tão irritada que queria jogar o livro pela janela, mas obviamente não fiz isso ainda mais que eu precisava saber como iria acabar.
Eu já tinha feito um monte de teorias de como seria o final mas a autora realmente me deixou surpresa, na minha opinião achei ruim foi como levar um tapa na cara. Passei a maior parte da história zangada e com muita raiva de Polly a ''amiga'' da protagonista e a outra parte queria chacoalhar a Rose por ser tão cega com o que estava acontecendo em sua própria casa. Como não quero contar spoiler vou falar um pouco da história, nela conhecemos Rose, uma dona de casa cuja vida é perfeita: ela tem um marido adorável, um bebê saudável e uma filha muito amorosa.

Logo no começo do livro Rose recebe um telefonema de Polly, sua melhor amiga desde a infância, Polly diz a Rose que seu marido, Christos, morreu em um acidente de carro, deixando-a sozinha com dois filhos em um lugar que todo mundo a odeia.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

•¤° Belle - Lesley Pearse •¤°

Uma leitura pesada, chocante e incrivelmente maravilhosa, essa é minha primeira leitura de Lesley Pearse e posso dizer que virei fã da autora, a leitura flui bem e a escrita é ótima, tanto que 500 páginas passam voando por nossos olhos que nem percebemos. Um dos pontos mais cativantes da história foi a força e coragem de Belle, pois ele passou por tanto sofrimento, dor e angústia, e mesmo assim sempre tirou o melhor de tudo não ficou choramingando, confesso que não consigo me imaginar passando por metade do que ela vivenciou foi tanto sofrimento. Há também os personagens que aparecem no decorrer que são vários, mas cada um deixando sua marca.

Agora falando um pouquinho da história nesse livro conhecemos Belle Cooper só tinha 15 anos quando sua vida muda para sempre, ela morava em um bordel em Londres, administrado por sua mãe, mas nunca entendeu de fato o significado que esta casa tinha. Ela era proibida de circular pela casa à noite por sua mãe uma mulher dura e de poucas palavras e quase nenhuma emoção evidente. Mog, a empregada, era praticamente sua mãe verdadeira. (Verdade seja dita mãe não é a que tem e sim a que cria e é o que vimos muito bem por aqui), mas foi ela que cuidou de Belle, que a colocava para dormir e fez dela a adolescente inteligente, educada e esperta. Em um dia que Belle resolve sair de casa para espairecer um pouco conhece Jimmy Reilly, o sobrinho de Garth, dono de um bar vizinho, e ela acredita que terá um amigo.

domingo, 4 de novembro de 2012

•¤° A última carta de amor - Jojo Moyes •¤°

Um livro cativante que me deixou emotiva do começo ao fim, acho que nunca me emocionei de chorar tanto quanto este livro fez comigo. Há princípio pensei que seria mais um livro de amnésia e amores impossíveis, e ele conseguiu ser único. A última carta de amor é um romance feito para quem acredita no verdadeiro amor. Nessa história conhecemos Jennifer Stirling que acorda no hospital totalmente desorientada e com perda parcial de sua memória após um acidente de carro. 

Ela volta para casa com seu marido, que nada mais é do que um estranho, e tenta reconstruir sua vida. Desorientada e infeliz, ela descobre uma carta de amor escondida em um livro, e descobre que sua vida não era tudo aquilo que pensava e que em algum lugar tem um amante apaixonado que talvez espera por ela. Quarenta anos mais tarde, conhecemos Ellie uma jornalista que por acaso destino descobre uma dessas cartas de amor nos arquivos do jornal em que trabalha, e é atraída pela história de amor de Jennifer, por se identificar com os protagonistas desse romance, por vivenciar um relacionamento com um homem casado, e então.